Borrachalioteca

Xilogravura 4.jpg
Borrachalioteca Humberto Guimarães .jpg

A inusitada mistura de pneus e livros remonta a 2002. A primeira doação de livro da biblioteca comunitária veio da Biblioteca Pública Municipal Joaquim Sepúlveda. Após essa primeira leva de livros, os próprios clientes da borracharia começaram a doar outros livros e a comunidade em torno começou a frequentar o canto tímido com as estantes de alvenaria.

Em 2005, em contato com o jornalista do Estado de Minas – Son Salvador, saiu a primeira matéria de jornal com a iniciativa e no mesmo dia foi matéria no Jornal Nacional (no quadro Brasil Bonito) e após isso a Borrachalioteca ficou bastante conhecida.

Em 2010, uma sala anexa a borracharia foi alugada para abrigar da melhor forma os livros. É uma sala de 25 m², com 9 estantes e que já mudou de layout várias vezes, sempre buscando adequar o espaço para os leitores.

Hoje, a Borrachalioteca conta com um acervo diversificado de mais de 3 mil títulos com obras de literatura para crianças, jovens e adultos além de um pequeno acervo com livros de história, sociologia, religião e autoajuda. A biblioteca mantém também uma coleção de histórias em quadrinhos. Para melhor organização do acervo, a biblioteca utiliza uma classificação simplificada para o acervo.

Nas obras de assuntos gerais (História e Autoajuda, por exemplo) há etiquetas de lombada com o assunto em cada livro, já o acervo de literatura está classificado por cores, onde cada uma identifica o gênero literário, o público-alvo da obra e a nacionalidade do escritor. 

O espaço está aberto ao público para leitura e empréstimo de livros. A biblioteca também realiza ações de mediação de leitura com escolas e instituições parceiras além de promover encontros e oficinas diversas. Todo o acervo está disponível para empréstimo gratuitamente mediante um cadastro simples.

Xilogravura 4.jpg